PT EN

Quinta das Machadas

Setúbal

O projecto de restauro na Quinta das Machadas de Cima, propriedade de 5.3ha pertença da família O’Neill desde o século XVIII, em Setúbal, incide sobretudo na recuperação das estruturas hidráulicas existentes e originais como poços, noras, tanques, caleiras e aqueduto.
Aborda-se ainda o restauro de muros e pavimentos pedonais assim como o enquadramento visual actualmente desqualificado pela massa de construção urbana visível da periferia da propriedade.
A Quinta preserva ainda hoje o seu traçado original; uma malha ortogonal de caminhos e antigos talhões de produção de laranjas delimitados por uma rede de caleiras que serviam a rega. O Estudo Prévio foi submetido ao cliente, Sr. Hugo O´Neill e a partir de uma troca de impressões e definição de prioridades foram retiradas algumas das intervenções propostas para restauro e aumentadas outras de forma a garantir o restauro de uma área representativa da função de produção que outrora a Quinta teve. Escolheu-se uma área prioritária de visita pelo seu interesse para a história da quinta e os caminhos que levam das entradas até lá tomaram posição prioritária no restauro. Considerou-se assim prioritário intervir nos seguintes elementos:
a) Restauro do conjunto hidráulico de Neptuno (Poço/Nora/Fonte de embrechado/ Tanque de Neptuno)
b) Restauro do conjunto hidráulico do Aqueduto (Poço/Nora/Aqueduto)
c) Restauro da caleira no caminho do laranjal (Caminho central entre talhões de laranjeiras).
d) Repavimentação de caminhos pedonais seleccionados como percursos de visita pedonais e de áreas de estadia.
e) Restauro dos bancos ao longo dos percursos de visita.
g) Área para estacionamento de visitantes na zona do pinhal (300 m2) - acesso pela estrada das Machadas na entrada a Sul da casa.
h) Identificação de áreas para produção hortícola e sugestão de plano de plantação: 4 talhões de citrinos, cortinas arbóreas e bosquete de Tílias na área do Poço de Neptuno.
i) A rega tradicional das laranjeiras por alagamento das caldeiras será substituída por rega gota-a-gota. Em simultâneo pretende-se recuperar os sistemas de poços, noras e tanques para fornecimento de água para a rega pois a disponibilidade em água mantém-se e o lençol freático continua próximo.
j) Projecto de rega automática para os talhões de laranjal
Ficha Técnica - Arquitectos Paisagistas

Coordenação de Projecto:
Cristina Castel-Branco

Assistência de Projecto:
Raquel Carvalho | Maria Matos Silva

Área: 5.3 ha

Estado: Construído

Cliente:
Hugo O'Neill

Data: 2010

Observações: Subsidiado pelo projecto EEA Grants