PT EN

Quinta da Fonte Velha

Sobral de Monte Agraço

Num terreno em que a casa foi construída na meia encosta pretendeu-se completar com espaços simples o projecto de arquitectura, ligando a casa aos espaços exteriores onde se cumprem funções quotidianas e de recreio.

Pretendeu-se primeiro consolidar e modelar o terreno respondendo às funções de cada área do projecto tendo em conta o menor movimento de terras, segundo utilizar espécies adequadas às condições edafo-climáticas do local do projecto, e finalmente implementar uma estratégia de redução da erosão através de um bom sistema de drenagem.

Conseguiu-se, neste projecto, acentuar o festo onde termina a propriedade com uma linha de árvores de folha permanente e porte significativo e criar uma encosta recoberta com faixas de vegetação que criam uma “pintura” com as cores das plantas aromáticas e hortícolas rematada por um muro-escultura que acentua a linha de transição do terraço com a encosta das plantas aromáticas.

O muro foi projectado para cumprir a função de suporte mas também como peça escultórica para a ser vista a partir da sala e de longe, da estrada de acesso à quinta e da encosta oposta. Foram criados bancos a partir da face do muro e capeamentos em ressalto no topo. Estas formas projectam a sua sombra sobre a superfície caiada do muro. O contraste de texturas é dado por alguns rectângulos no muro com revestimento em pedra igual ao exterior da casa.

O muro é assim revestido de materiais diferentes: partes em pedra intercaladas com partes lisas pintadas. Um cedro poderá vir a ser a árvore de referência da Quinta, visto que a sua forma escultórica será vista da encosta em frente, marcando assim o festo da encosta em que assenta a Quinta da Fonte Velha.
Ficha Técnica - Arquitectos Paisagistas

Coordenação de Projecto:
Cristina Castel-Branco

Assistência de Projecto:
Inês Vasco | João Jorge

Área: 2700 m2

Estado: Construído (Fase I)

Cliente:
Dra Helena Borba

Data: 2003