PT EN

Candidatura de Santarém a Património Mundial - Paisagem Cultural

Santarém

A área proposta para inscrição na lista a património mundial corresponde ao leito de cheia do rio Tejo e ao planalto onde se implantou a cidade de Santarém.
Em Santarém, uma geologia única preservou um promontório de 100m sobre o Tejo, contrastando com a planura do vale e de onde podem ser observados e apreciados os seus ciclos naturais. Assim, três características paisagísticas distintas definem esta paisagem cultural: o planalto de calcário, onde historicamente a população se concentrou; a terra agrícola, estendendo-se em torno a Norte, Este e Sul; e o leito do rio, fluindo suavemente do interior do país, até Lisboa.
Enriquecida por cheias periódicas, a paisagem ribeirinha circundante de Santarém representa a mais rica terra agrícola de Portugal, continuamente ocupada e produtiva ao longo de 3000 anos, revelando uma associação equilibrada entre a topografia, a dinâmica fluvial e os seus habitantes. A intervenção humana tem melhorado a riqueza e a vitalidade deste corredor fluvial, através da construção de estruturas para controlar e proteger as zonas de terra fértil, onde se depositam os ricos sedimentos do Tejo: as lezírias. Estas intervenções humanas incluem diques, canais de drenagem e a plantação de salgueiros (marachas), que funcionam como redutores de energia ao longo das margens do rio.
A paisagem cultural de Santarém é uma fonte vital de informação para a compreensão da história das lezírias, da sua dinâmica cultural e do equilíbrio introduzido pelo Homem em sinergia com as forças da Natureza. Esta paisagem cultural constitui, também, uma lição para a futura manutenção da sua fértil agricultura, da sua beleza milenar, da sua riqueza e da sua inigualável imagem.
Ficha Técnica - Arquitectos Paisagistas

Coordenação de Projecto:
Cristina Castel-Branco

Assistência de Projecto:
João Jorge

Área: 1.700 ha

Estado: Construído

Cliente:
C.M. Santarém

Data: 2001

Observações: (coord. Jorge Custódio)